Construção de Preço para Peças de Manutenção

Saudação a todos!

Estou elaborando dois processos de manutenção da minha instituição: um de ar condicionado e outro de geradores, e neles incluirei o fornecimento de peças, com pagamento mediante a apresentação pela contratada de ao menos 3 cotações.

Encontrei processos similares em diversos órgãos, bem como as jurisprudências para desenvolve-lo aqui grupo, porém, estou com dificuldade em construir o valor para a eventual aquisição das peças, uma vez que:

  • Para os condicionadores de ar, temos uma grande quantidade e variedade de produtos e nenhum histórico de manutenção corretiva;
  • Para os geradores, nosso histórico de manutenção é pequeno para gerar base de cálculo e há um grande número de peças no equipamento, sendo algumas poucas, por experiência, inviáveis de cotação, por estarem atreladas a serviços, como a bomba injetora ou o material para rebobinamento do alternador.

Sendo assim, alguém teria alguma sugestão para construção dos valores que não implicasse na pormenorização de cada componente? Poderia ser estimado em algum percentual do valor dos produtos, com ou sem depreciação?

Desde já agradeço qualquer auxílio.

Luis, uma sugestão é dar uma olhada na metodologia de cálculo dos custos de manutenção do SINAPI. Outra ideia é buscar editais no Comprasnet de serviços semelhantes e fazer um índice médio.

1 Like

Uma solução seria contratar por posto de trabalho. Teria que analisar a demanda. A definição do valor do material seria, como o Luís disse, com base na apresentação, pela contratada, de ao menos 3 cotações, sendo irrelevante para a pesquisa de preços. Como o Franklin disse, outra ideia é buscar editais, no Comprasnet, de serviços semelhantes.

Prezados Franklin e Marcelo.

Agradeço as respostas.

Embora já tenha procurado minuciosamente no SINAPI, SICRO e afins sem sucesso, continuarei a pesquisa para encontrar a base para o valor destinado às peças.

Luis, olhando o Sinapi, vemos que a metodologia adotada calcula o custo total de manutenção assim:

M = (Va * K)/(HTA x n)

M = Custo horário de manutenção;
Va = Valor de aquisição do equipamento, insumo do SINAPI;
HTA = Horas Trabalhadas por Ano (tem tabela de parâmetros);
n = Vida Útil em anos (tem tabela de parâmetros);
K = Coeficiente de manutenção, conforme tabela de parâmetros

No caderno “CÁLCULOS E PARÂMETROS” do SINAPI, encontramos referências para vida útil de alguns equipamentos, baseados nos parâmetros do SICRO. Mais equipamentos podem ser encontrados no caderno do SICRO.

Usando um exemplo, no Sinapi, consta que um Grupo gerador - 145/160 kVA tem 2.000 horas trabalhadas (isso dá cerca 8h por dia, de segunda a sexta). O Coeficiente de manutenção (k) é 0,5 e a vida úti, 7 anos.

No caderno de custos de insumos do Sinapi de setembro/2020, não desonerado, DF, encontramos o valor de aquisição de R$ 97.750 para um
36501 GRUPO GERADOR ESTACIONARIO, POTENCIA 150 KVA, MOTOR DIESEL.

Então, para esse equipamento, o custo horário de manutenção (M) seria:
M = (Va * K)/(HTA x n)

M = (97.750 * 0,5) / (2.000 * 7) = R$ 3,49/h

Esse, portanto, segundo o Sinapi, seria o custo horário de manutenção de um Gerador Estacionario 150kVa, Diesel.

Com esse parâmetro, seria possível estimar o gasto total com manutenção em 1 ano. Ao custo horário deveria ser aplicado uma taxa de BDI média (pode ser, por exemplo, alguma das calculadas pelo TCU no Acórdão nº 2.622/2013, uma média de pesquisa em propostas vencedoras de licitações do segmento de manutenção predial ou referências acadêmicas, como esse estudo que encontrou média de 24,95% de BDI em manutenção predial sem desoneração).

Digamos, então, que em nosso exemplo, o Gerador seja efetivamente utilizado com a mesma quantidade de horas trabalhadas, no ano, que os parâmetros do Sinapi (2.000 horas). Se o regime de uso for outro, deve-se alterar os cálculos de custo/hora. Mas o valor, no ano, será o mesmo.

Explicando, se o Gerador em questão for utilizado, digamos, em média, 4h/semana, então teríamos total de 208 horas por ano (4h * 52 semanas), o que nos levaria a um custo horário de manutenção de M = (97.750 * 0,5) / (208 * 7) = R$ 33,57/h

Então, se o Gerador fosse usado 2.000 horas por ano, o seu custo total de manutenção, naquele ano, seria R$ 6.982 (R$ 3,49/h * 2000h).

Se fosse usado 208 horas por ano, o custo total de manutenção, no ano, seria R$ 6.982 (R$ 33,57/h * 208h)

Certo, aos R$ 6.982, aplicamos o BDI. Digamos que seja de 25%.

Então, o Preço Anual estimado da manutenção será de R$ 8.727

Esse é o gasto total estimado com manutenção (mão de obra + peças) no ano, com o equipamento. Se você tem a estimativa do gasto só com mão de obra, a diferença seriam as peças.

Não é uma tabela de referência, mas é um método.

Para comparação, podemos olhar o Edital da UASG 987885, Pregão Eletrônico 2402019, realizado em outubro/2019. Ali, o serviço de manutenção preventiva e corretiva para Grupo Gerador a diesel, 150KVA, foi estimado em R$ 7.524,00 (estimado de mão de obra) + 9.000,00 (fixado para peças) = R$ 16.524,00

Essa estimativa, pelos parâmetros do Sinapi, estava muito elevada. Praticamente o dobro.

Nesse edital, foi previsto que as peças, na manutenção corretiva, seriam ressarcidas ao contratado, que apresentaria 3 orçamentos e não poderia faturar nenhum BDI sobre os custos das peças.

A proposta vencedora foi de R$ 3.816

Assim, nessa licitação, o valor total contratado, foi de R$ 3.816 em mão de obra + 9.000 em peças = R$ 12.816/ano. O que se pode aproveitar daqui, talvez, seja a proporção entre mão de obra e peças, que era estimada em 55% para peças.

Outra comparação pode ser realizada com o Pregão 17/2019 da UASG 160026. Ele foi abandonado, mas podemos obter as propostas vencedoras no Comprasnet. Para “manutenção PREVENTIVA e CORRETIVA em grupo gerador SCANIA LEON HEIMER - 150KVA incluindo mão de obra e todas as demais peças necessárias para um perfeito funcionamento do Gerador”, item 22, o valor estimado era R$ 9.405 e o valor vencedor foi R$ 8.800,00. Há outros itens nessa licitação, referentes a gerador 150Kva, com valores parecidos.

Bem mais próximos esses números da estimativa baseada no Sinapi. A proposta vencedora ficou 1% acima do Sinapi.

Ufa. Ficou longo. Mas espero ter contribuído com alternativas.

Franklin Brasil
Autor de Como Combater o Desperdício no Setor Público
Autor de Como Combater a Corrupção em Licitações

7 Likes

Caro Franklin,

Agradeço a resposta mais do que completa e o tempo que provavelmente despendeste elaborando-a.

Registrei as informações e usarei de norte para as licitações.

Tomo o ensejo para desejar-lhe um excelente 2021.

Grande abraço!