Recurso ao pregoeiro não procedente - Ação Judicial

Boa tarde,
Estou com dúvida em relação a um procedimento licitatório em que meu escritório está atuando de forma consultiva.
A licitação se concluiu pela contratação de uma empresa que se autodeclarou como ME/EPP, contudo integrava grupo econômico, o que se sujeitaria a declaração de inidoneidade, conforme art. 46 da Lei orgânica do TCU. A ganhadora da licitação também apresentou atestados de capacidade técnica com nomes divergentes da própria empresa.
Foi feito recurso ao pregoeiro diante desses fatos, contudo o recurso foi improcedente e a alegação principal é que embora estivesse correta a afirmação de que a empresa compunha um grupo econômico, no entendimento da pregoeira, não houveram benefícios que pudessem descaracterizar sua autodeclaração como ME/EPP, contudo a jurisprudência já é bem sedimentada no sentido de que a mera autodeclaração como ME/EPP na licitação, enquanto empresa integrante de um grupo econômico já caracteriza a fraude à licitação.

Alguém já passou por experiência similar? Seria possível o ingresso de uma ação popular para anular a contratação realizada?