Dispensa emergencial

Fizemos um PE, para contratação de serviço de rádio comunicação digital.
O contrato anterior era de radio comunicação analógico.
Na semana da assinatura do contrato do novo processo, o TCE mandou suspender o processo.
Como o serviço de rádio é essencial a guarda municipal, indiquei ao gestor a prorrogação do contrato anterior (que já tem 60 meses) por excepcionalidade. O gestor recusou e abriu uma solicitação de DL emergencial.
A questão é: O objeto da DL é o mesmo do novo processo (radio digital), o termo de referencia é o mesmo que foi denunciado por direcionamento.
Ao meu ver deveria manter o objeto anterior (analógico), apenas com o objetivo de “ter” o serviço, dar continuidade.

Perguntas:

Qual seria a forma correta? Prorrogação ou DL emergencial?
E qual o objeto, no caso da DL.

Obs: Já perdemos o prazo para a prorrogação.

2 Likes

Bom dia. Eu faria a prorrogação excepcional, que é indicada exatamente para estas situações.
Logicamente, que cabe análise de uma séries de fatores.

1 Like

Se o prazo de prorrogação foi perdido, já não é mais possível a prorrogação excepcional.

2 Likes

Eu sei, mas gostaria de saber qual teria sido a melhor opção.
E dentro da opção que temos a DL emergencial, qual objeto seria a escolha correta o antigo (analogico) ou o novo que esta suspenso (digital).

1 Like

Eu penso que a prorrogação excepcional é muito mais defensável do que a Dispensa Emergencial.

Para a Dispensa Emergencial há mais requisitos a cumprir do que na prorrogação excepcional.

5 Likes

Ronaldo, eu também defendi esse caminho. mas, optaram pela DL, a minha dúvida agora é quanto ao objeto da DL, deveríamos manter o objeto anterior, ou optar pelo objeto da nova licitação que foi suspenso?

Qual foi o motivo da suspensão?

De acordo com a empresa denunciante, direcionamento de objeto.

Olá. Sem dúvida a prorrogação excepcional. A dispensa emergencial teria que comprovar a emergência, que,a meu ver, não existe nesse caso. Qual a emergência em ficar sem o serviço mencionado? As atividades administrativas irão parar? A população seria prejudicada?

1 Like

Se há denúncia de direcionamento, seria mais prudente manter o objeto anterior, caso não se modifique o termo de referência a fim de escoimá-lo das alegações aceitas pelo TCE. De outra forma, à contratação direta poderá ser objeto dessas alegações, complicando a situação da Administração no TCE, que poderia entender a contratação direta como burla à sua decisão…

4 Likes

Obrigada, aqui foi feito exatamente ao contrario, fui voto vencido. Agora vamos aguardar a decisão do departamento jurídico. O gestor do contrato optou por uma DL com o novo objeto, nao aceitando as sugestões do meu departamento (suprimentos).

2 Likes