Contrato vigente, entretanto extrapolado

Acho que pode ser um questionamento tolo, entretanto preciso saber se a situação pode ter alguma implicância administrativa…
Pactuamos contratos de prestação de serviço continuada, com previsão de prorrogação (12 meses, prorrogáveis). Ocorre que durante a execução do contrato, por motivos diversos, principalmente aumento da demanda, as quantidades são extrapoladas, por exemplo, em 3 meses, consome-se o saldo previsto para 12, nem com o acréscimo de 25% resolve-se a situação. A solução tem sido providenciar novo contrato, ainda com o primeiro contrato vigente (mas sem saldo). O novo contrato só complementa o saldo restante do primeiro. Devo rescindir o primeiro contrato? Pactuar novo contrato com a nova demanda total? Posso ficar com dois contratos com o mesmo objeto, um complementando o outro (na data possível, prorrogo o primeiro, e fico com o outro valendo também)?

@jassana manter dois contratos com o mesmo objeto é possível desde que fique comprovar que essa solução é a que melhor atende a necessidade do órgão.

Acho que não é o seu caso, já que mantendo dois contratos, o trabalho é duplicado, duas fiscalizações, acompanhamentos, pagamentos, renovações, etc…

Como há sempre o dever de planejar, se vão licitar novamente, já façam tudo em um só.

3 Likes

Fica difícil é justifica a prorrogação do primeiro num cenário em que sabidamente foi subdimensionado.
Até prorrogaria, mas já relicitando, e com cláusula que preveja a rescisão quando da entrada da nova empresa. Como observado pelo @rodrigo.araujo , manter dois contratos é contraprodutivo.

3 Likes

Ao meu ver ha possibilidade de ter dois contratos para o mesmo objeto quando devidamente justificado a vantagem.

Pressumo que seu contrato é de prestacão de servicos sob demanda.

Em regra geral, ter somente um contrato é melhor para reduzir os custos administrativos além de muitas vezes obter melhores preços por ganho de escala.

Mas pode ser que não tenha uma empresa que sozinha consiga atender a toda demanda e por causa disso ter que contratar duas ou mais, o que justificaria ter mais de um contrato. Acredito que nao seja o caso pois voce nao mencionou falha no atendimento.

Entao a justificativa para ter o segundo contrato seria o aumento de demanda nao previsto na época em que foi feita a primeira contratacao.

Já que se esgotou a quantidade contratada e será necessário um novo contrato acredito que o mais adequado é que ele inclua a demanda total e seja descontinuado o contrato atual.

Todavia, na nova contratação pode ser que seja obtido um valor superior ao contrato atual de modo que seja mais vantajoso ter maiores custos administrativos.

Além disso, se essa alta de demanda for temporaria o novo contratado pode se sentir lesado em assinar com uma demanda elevada e pouco tempo depois ter uma redução drástica. Nesse caso também pode ser melhor que o novo contrato seja apenas com a demanda remanescente e pelo periodo em que se preve estar acima do normal.

1 Like

Boa noite. Não sei se compreendi, houve algo excepcional que consumiu muito do contrato. Ele é vigente mas não pode atender a demanda. Acredito que o problema precisa ser resolvido rapidamente, uma contratação emergencial poderia ser a solução, lembrando que necessário apurar as responsabilidades e do prazo máximo de 180 dias, não podendo ser prorrogado conforme letra do Artigo 24 Inciso IV da Lei 8666/93 e alterações posteriores. Quanto a sobreposição de objeto, entendo que fica justificado, se o preço do contrato atual for vantajoso e demonstrado, por que não contratar a atual contratada? Depois precisa ser avaliado, essa excepcionalidade, agora é recorrente? Caso sim. Então o contrato original não deveria ser renovado, devendo ser realizado um bom estudo técnico preliminar para apurar os quantitativos que inclusive precisam ser evidenciados. Espero não ter escrito nenhuma besteira.