Serviço comum de engenharia - profissionais empregados na execução dos serviços

Nossa Unidade realizou pregão eletrônico para contratação de serviço comum de engenharia de manutenção de fachada de vidro, com prazo de execução de 80 dias, sem a possibilidade de subcontratação. O pessoal empregado pela contratada, executará os serviços na sede da Unidade, conforme prazos e horários definidos pela fiscalização. O termo de referência e o termo de contrato exigem o cumprimento pelo fiscal administrativo do contrato, das obrigações previstas na IN SEGES/MP nº 6, de 2018, a saber:
[…]
Art. 3º Para fins de fiscalização do cumprimento de que trata o inciso IV do art. 2º, a contratante deverá solicitar, mensalmente, por amostragem, que a contratada apresente os documentos comprobatórios das obrigações trabalhistas e previdenciárias dos empregados alocados na execução da obra, em especial, quanto:
I - ao pagamento de salários, adicionais, horas extras, repouso semanal remunerado e décimo terceiro salário;
II - à concessão de férias remuneradas e pagamento do respectivo adicional;
III - à concessão do auxílio-transporte, auxílio-alimentação e auxílio-saúde, quando for devido;
IV - aos depósitos do FGTS; e
V - ao pagamento de obrigações trabalhistas e previdenciárias dos empregados dispensados até a data da extinção do contrato.
[…]
15.16. No caso de serviços de engenharia, caso não seja apresentada a documentação comprobatória do cumprimento das obrigações de que trata a IN SEGES/MP nº 6, de 2018, a contratante comunicará o fato à contratada e reterá o pagamento da fatura mensal, em valor proporcional ao inadimplemento, até que a situação seja regularizada.

Sobre este ponto, vale lembrar, que quando a Administração contrata a prestação de serviços terceirizados, formam-se duas relações contratuais distintas. A primeira, de índole administrativa, entre a Administração e a empresa contratada, regida eminentemente pela Lei nº 8.666/93. A segunda, de ordem trabalhista, refere-se aos contratos de trabalho celebrados entre essa empresa e os seus empregados, mas com repercussões judiciais na esfera da Justiça do Trabalho, quando a Administração Pública figure como tomadora dos serviços.

Pelo acima exposto pergunto:
No caso apresentado, os empregados utilizados na execução do serviço, devem ser contratados, obrigatoriamente, mediante contrato individual de trabalho previsto na CLT?
É possível a contratação de profissional autônomo para a execução dos serviços?