Dúvidas sobre Sistema AGATHA e Riscos em Objetivos Estratégicos

Boa tarde, pessoal

Como vcs vem realizando a proritariamente a operacionalização da gestão de riscos na instituição de vocês? em processos, em objetivos estratégicos? Tem usado os mesmo métodos de identificação (brainstoming, entrevistas, recomendações de auditoria?)

Agradeço a colaboração

1 Like

Bom dia Prezada Geisa.

No IFPR estamos utilizando o sistema Ágatha. Realizei um treinamento em todas as 25 unidades, capacitando os servidores nos temas mapeamento de processos, governança, gestão de riscos e utilização do sistema.

Primeiramente categorizamos os macroprocessos que possuímos e identificamos a que tipo de riscos a instituição está sujeita.

Durante o treinamento os servidores avaliaram riscos em processos operacionais que realizam, porém vinculando seus processos os objetivos estratégicos da instituição.

Estamos utilizando reuniões para discussões e brainstorming na avaliação de riscos.

Att

5 Likes

Olá Paulo, boa tarde.
Voce poderia, por favor, informar o quanto o sistema ajuda na coordenação de ações de governança relacionados a mapeamento dos processo e mapeamento dos riscos dos processo.
Agradeço sua atenção.
Grice

1 Like

Boa tarde Prezada Grice

Na realidade, quando do treinamento, na primeira parte eu faço um treinamento rápido de mapeamento de processos. Para que os servidores tenham a noção de que é mais fácil identificar os riscos depois de um processo mapeado.

Com relação a Governança, o sistema permite a emissão de relatórios e visualização de gráficos que permitem identificar onde a gestão deve atuar.

Um pequeno exemplo, no Ágatha, na primeira parte, há uma parte de avaliação da percepção dos servidores com relação a existência de Comissão de Ética, de Procedimentos Disciplinares, etc. Para uns servidores existe esta percepção para outros não. Desta forma já é possível identificar que estamos com falha na comunicação interna.

O Sistema auxilia e muito na realização da avaliação de riscos, já que ele permite a avaliação em etapas e permite a participação de vários servidores no mesmo mapeamento.

Não sei se fui claro. Mas se precisar de mais informações é só me pedir, ok?

Att

1 Like

Oi Paulo, boa tarde.
Sim, foi super claro nas suas colocações, Obrigada. Gostei dessa parte da percepção dos servidores, e podemos parametrizar o tema que queremos avaliar? Você tem o contato da pessoas para conhecer/obter o sistema? Acho que aqui no DF o sistema seria de grande valia.
Agradeço a atenção.
abs
Grice

Oi Grice

O sistema foi desenvolvido pelo antigo Ministério de Planejamento, hoje Ministério da Economia.

Ele está disponível como Software Público.

Os contatos que tenho são:

Higo Mesquita Gomes - higo.gomes@planejamento.gov.br

Wellington Araújo Palmeira - wellington.palmeira@planejamento.gov.br
Edson Santos Martins Leite - edson.leite@planejamento.gov.br
Hudson Vinicius Mesquita - hudson.mesquita@planejamento.gov.br

Att

Paulo Henrique de Almeida

Administrador - EGRC - PROPLAN

Instituto Federal do Paraná

2 Likes

Obrigada Paulo, pela atenção.

Vou entrar em contato com eles.

abs

Bom dia Grice.

Fico a disposição. E se precisar de alguém para dar treinamento, tb estou a disposição.

Att

Bom dia, pessoal!

Acabei desativando as notificações sem querer e somente agora acompanhei tudo. Estou achando os relatos super válidos e acho que podem ajudar na operacionalização dentro das instituições.

Tenho realizado a Gestão de Riscos, buscando integração com o mapeamento de processos já consolidado dentro da Universidade em duas frentes: processos e integridade. Venho tentado justamente começar a aplicá-lo a objetivos.
Usamos atualmente o FoRRisco da plataforma ForPDI, feito de maneira customizada para universidades, no entanto ele tem apresentado algumas inconsistências.

Paulo, não sei como está o regime de trabalho de vocês, seu volume de atividades, mas o que acha de marcados uma videoconferência para benchmarking?
Podemos trocar experiências, materiais, ferramentas.
Vou te deixar meu email para caso você concorde. Caso não possa, e não seja incomodo, gostaria de ter acesso a algumas das ferramentas ou formulários que usem. Me manda teu email que descrevo melhor.

Email: geisa.vasconcelos@ufersa.edu.br

Desde já muito obrigada!! Vamos continuar essa rede de colaboração.

1 Like

Obrigada Paulo, pela atenção. Vou entrar em contato com eles.

Deixa eu verificar aqui as possibilidade de usarmos o sistema e qq coisa com certeza nos falamos sobre a capacitação.
abs

Bom dia, Grice!

Não sei se começa a te ajudar, mas na página do IFPR, do Paulo Henrique, eles colocaram um manual de uso do Ágatha.

Segue link:
https://reitoria.ifpr.edu.br/wp-content/uploads/2020/02/Manual-do-sistema-Agatha-revisado-v5.pdf

Geisa Maria Rodrigues de Vasconcelos
Diretora da Divisão de Planejamento e Avaliação Institucional
Administradora

Telefone: (84) 3317-8273
Ramal 1094

2 Likes

Bom dia Geisa e demais colegas.

Estou em regime de home office, acredito que como a maioria de vocês.

Avaliamos, aqui no IFPR também a ferramenta ForRisco porém optamos por utilizar o Ágatha.

Fico a disposição para realizar a videoconferência. Só precisamos marcar com um pouco de antecedência, pois tenho reuniões já agendadas para todas as terças pela manhã e terças e quintas à tarde.

Melhores dias seriam nas quartas e sextas à tarde.

Att

1 Like

Boa tarde, @GeisaMaria

No Min. Economia mantivemos o sistema Agatha, muito prático e voltado a riscos operacionais e à Integridade.

Em riscos estratégicos, temos uma abordagem por meio de reuniões com muita explicação de parâmetros, e brainstorming. Isso é necessário pois ocorreram mudanças de paradigma recentemente.

Um exemplo: a referência aos riscos deixou de ser a cadeia de valor, e passou a ser os objetivos estratégicos.

É uma mudança intensa, em que precisamos mudar a abordagem terminológica de “riscos relevantes” a “riscos estratégicos”. No fim, as impressões dos riscos identificados se repetem em grande parte.

E como em todo método, há críticas, sugestões, dificuldades de interlocução e diversidade de compreensão.

O aspecto mais positivo do brainstorming , a meu ver, n se liga à identificação dos riscos em si, mas à sensação e repercussão da mobilização de agentes relevantes no processo. Indico fortemente, apesar do esforço de “consolidação” e filtro exigir alguma energia extra.

2 Likes

Permitam me apresentar

Thiago, coordenador de Gestão de Riscos e Integridade do Ministério da Economia.

Responsável pela sustentação, apoio e aprimoramento do Agatha em sua versão “raiz”, inclusive no portal do software público.

Muito ricas as colaborações de @GeisaMaria @paulo.almeida e @Gricde

3 Likes

Oi, Thiago!

Olha, muito obrigada. Vcs já estão me ajudando bastante.

Concordo com você com relação ao brainstoming. Para além da coleta das informações, ele ajuda na sensibilização dos servidores tanto no que concerne à cultura de gestão de riscos, como da cultura da integridade que diz respeito exatamente à conduta do servidor em exercício. Na da identificação usamos brainstorming, fluxograma de processo, entrevista estruturada para iniciar e familiarizar os membros da unidade entrevistada com o tema.

A maior dificuldade que encontro no momento é de fato na operacionalização da gestão de riscos. Já temos política, plano, metodologia definida, ferramentas, e alguns ciclos completos desde a identificação até a elaboração de planos de ação e contingência, no entanto, restam dúvidas quanto ao nível profundidade de eventos que devemos dar, se na frente de mapeamento de objetivos estratégicos devemos ampliar o escopo até os processos operacionais envolvidos para consecução destes. Por essa razão eu gostaria de conversar com vocês para entender como de fato isto está na prática e registrado.

Vou revisitar os materiais públicos disponibilizados tanto pelo Ministério da Economia, como pelo IFPR para poder conhecer os métodos e contar melhor com a contribuição de vocês.

Similiar ao Thiago, vou me apresentar. Sou Geisa Maria Rodrigues de Vasconcelos, atualmente diretora de Planejamento e Avaliação Institucional na Universidade Federal Rural do Semi-Árido/ UFERSA, em Mossoró- RN.
Temos um trabalho em mapeamento de processos ja consolidado e reconhecido, e iniciamos os processos de operacionalização da gestão de riscos e integridades em duas frentes.

Abraços a todos e se cuidem!

Geisa Maria Rodrigues de Vasconcelos
Diretora da Divisão de Planejamento e Avaliação Institucional
Administradora

Telefone: (84) 3317-8273
Ramal 1094

3 Likes

Bom dia a todos.

Primeiramente parabéns a todos pelos trabalhos desenvolvidos, tanto com relação a Governança, Integridade e Gestão de Riscos…

Geisa, na página do IFPR e também nos vídeos de entrevista da Enap, há um vídeo do Rodrigo Fontenelle que fala um pouco dos processos estratégicos e operacionais. Seria bom vocês assistirem.

Aqui no IFPR já houve um trabalho de mapeamento de processos, porém muita coisa mudou e estamos tentando gradativamente ajustar estes fluxos. Assim como implementar e conscientizar sobre a gestão de riscos.

Assim sendo também aproveito para me apresentar. Sou o Paulo Almeida, Administrador no IFPR, Chefe do Escritório de Governança, Riscos e Controles. Até março de 2020 a unidade estava vinculada a Diretoria de Desenvolvimento Institucional na Pró-reitoria de Planejamento e Desenvolvimento Institucional, porém a partir da nova configuração do organograma, nossa unidade passou a responder a Diretoria Executiva do Gabinete do Reitor. Antes do IFPR atuei em empresas multinacionais da Índia e do México na área de Mapeamento de Processos e Gestão de Riscos.

E estou a disposição.

Att

2 Likes

Geisa,

Bom dia. Tenho restrições quanto ao uso de brainstorming para identificação de riscos. Isso foi bem abordado em uma palestra da Rede GIRC em https://www.youtube.com/watch?v=_4UiCGAGCM0&t=1665s

Para conscientização você pode usar outras estratégias…

Atts,

João Batista Ribas de Moura
http://www.jbrm.eti.br

4 Likes

Oi, Paulo. Boa noite.

Quanto tempo o IFPR está utilizando o sistema Ágatha? Em que pese ser um sistema desenvolvido pelo Ministério da Economia, você consegue treinar funcionários públicos de outras Instituições? Se positivo, como funciona?

O IFPR já fez uma avaliação da implantação do sistema? Os benefícios gerados à Entidade?

Bom, antes de qualquer coisa, desculpas, deixa eu me apresentar. Sou responsável pela Área de Governança e Controle Interno do METRO-DF, na qual trata de assuntos voltados a essa temática como gestão de riscos, compliance, entre outros. Achei extremamente relevante a discussão neste tópico e a sistematização desse assunto na Companhia só acrescentaria à transparência e eficiencia dos resultados.

Você poderia me esclarecer como o sistema funciona com o mapeamento de processos.

Muito obrigada pela atenção.

Oi Geisa,
Obrigada.
Vou la no site dar uma olhada.
Agradeço de coração sua atenção.
abs

Bom dia Prezada Roberta.

O IFPR começou a avaliar não só o sistema Ágatha, como o ForRisk e o SIG-UFRN, em dez/2018.Optou-se pelo Ágatha e iniciou os testes em Fev/2019 e, devido a questões de eleição para Reitor, somente iniciou sua utilização em agosto de 2019. A partir de setembro de 2019 iniciei o treinamento com as 25 unidades espalhadas pelo Paraná. Hoje temos 100 processo inseridos no Ágatha.

O sistema foi desenvolvido pelo Ministério do Planejamento, hoje Ministério da Economia. É um software público disponível gratuitamente. Se o órgão implantar o Sistema Ágatha posso realizar o treinamento. Contudo esse treinamento que preparei para o IFPR, engloba uma parte de mapeamento de processos, uma parte de integridade, uma parte de gestão de riscos e a parte final de utilização do sistema. Esses temas foram elaborados em conjunto com a Auditoria Interna do IFPR levando em consideração orientações da CGU. Com relação de como funciona, esse treinamento que realizei é de 2 dias, podendo ser ajustado para 20 horas.

Ainda não fizemos uma avaliação do sistema em si, porém tenho avaliação do treinamento e da importância dos temas abordados. Com base no treinamento e da necessidade de se ter um controle melhor e uma gestão de risco sólida é que a unidade pela qual sou responsável passou a responder a Diretoria Executiva do Gabinete do Reitor. Como o Reitor falou aqui: “Os temas e treinamento deixaram um gostinho de quero mais”.

O sistema Ágatha não auxilia no Mapeamento de Processo, ele atua na gestão de riscos. Ou seja o mapeamento de processos é que auxilia o sistema Ágatha. Se o órgão possui os processos mapeados fica mais fácil identificar os riscos.

Para mapeamento de processos aqui no IFPR utilizamos 2 softwares gratuitos: o Bizagi Modeller para processos operacionais e estratégicos e o Bonita Soft para processos de TI.

Espero ter esclarecido suas dúvidas. Mas se não, estou a disposição.

Att