Sistema de Educação remoto, hibrido e presencial na pandemia COVID-19 e Pós Pandemia 2021 e seus efeitos sociais

Espaço para discutir a qualidade do sistema de educação remoto, ERE, nas universidades públicas estaduais e principalmente federais onde possuem servidores federais por mais que tenham autonomia universitária, tal sistema remoto compromete em muito a qualidade do ensino dos graduandos, o convívio social foi esquecido! visto que faculdades privadas as aulas estão sendo ministradas com os cuidados de segurança e saúde para o COVID-19 sistema de distanciamento e proteção, com planejamento igual as privadas seria diferente por que não usar o sistema das particulares? leva-se em conta dificuldades de acesso a Internet tempo em trabalho externo etc…não e justo igualar e remunerar integralmente quem não ministra uma aula nem que seja hibrido duas 02 vezes por semana!!pois os demais servidores federais estão tendo descontos em trabalho remoto

A possibilidade de o próprio aluno montar o seu plano de aula de acordo com a rotina é atrativa. A educação a distância permite que alunos sejam os protagonistas durante a graduação, pós-graduação ou em cursos profissionalizantes, além de aliar o conteúdo tradicional com o universo multimídia. Apesar dos pontos positivos, quem se matricula em um curso EAD relata dificuldades: problemas de comunicação, atendimento ruim e até má qualidade do serviço prestado.

São Paulo, 29 de julho de 2020 – Cerca de 43% de estudantes de cursos presencias do ensino superior que migraram para o ensino remoto durante a pandemia apontaram a falta de contato com colegas e professores como o principal ponto negativo da modalidade virtual. É o que mostra a pesquisa “O comportamento do aluno do ensino superior presencial durante a pandemia” do PRAVALER, maior fintech de educação do Brasil, divulgada na terça-feira (28), que ouviu aproximadamente mil alunos de instituições de ensino superior privado de todas as regiões do Brasil.

1 Like