Home office: servidores públicos querem novos benefícios

Home Office: servidores querem novos benefícios

A principal intenção é na criação de uma ajuda de custo para aqueles que estão nesse tipo de regime laboral. O Ministério da Economia, por outro lado, nega essa possibilidade.

A reivindicação é da Condsef (Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal) e da Federação Nacional dos Trabalhadores do Serviço Publico Federal (Fenadsef) e se dá devido aos gastos com internet, eletricidade e equipamentos.

As entidades questionam a Instrução Normativa nº 65, da Secretaria de Gestão e Desempenho de Pessoal do Ministério da Economia que trata das novas regras.

Dentre os pontos polêmicos analisados, estão o custeamento, pelo servidor, de itens para uso no teletrabalho, como estruturar seu ambiente de forma ergonômica, além de assumir os gastos com internet, telefone e energia elétrica.

O mais próximo que tenho conhecimento é da Petrobrás (0100455-61.2020.5.01.0052), em que liminarmente ela teve que pagar um benefício.
Creio, neste caso, que é uma questão de justiça. Principalmente em tempos de bandeira vermelha e congelamento salarial, muitos trabalhadores que migraram pelo teletrabalho estão tendo aumento, não redução de custos.

Eventualmente, sim, é vantajoso trocar o trabalho convencional pelo remoto por se gastar menos com combustíveis, vestuário e alimentação. Mas há casos em que o próprio modelo de vida do servidor tem prejuízos.

1 Like

isso e verdade e uma questão de justiça frente o congelamento salarial e elevação da energia elétrica e demais impostos combustível e a alimentação pela disputa entre governos e pelo ICMS.