Menos de 25% das ocupações no Brasil têm potencial de teletrabalho